fbpx

Turmalina Azul e seus significados e propriedades

Turmalina Azul e seus significados e propriedades

A Turmalina Azul também conhecida como Elbaite, são muito raras e podem ser ricas em lítio, sódio e alumínio. Elas têm basicamente a mesma qualidade da turmalina verde, vermelha ou Melancia, embora produza benefícios para a parte superior do tronco, o sistema pulmonar e o sistema imunológico. Se você se sente mais atraído pela Turmalina Azul do que pelas outras Turmalinas é melhor seguir sua intuição. Alguns acreditam que essa pedra tem uma natureza religiosa e que seu propósito é o de ensinar a espiritualidade a cada um. Por isso é conhecida como pedra da boa conversa e da negociação.

Há muito tempo que a turmalina é usada tanto por cientistas quanto por metafísicos. A Turmalina Azul é muito rara, o que a torna uma peça cara no mercado tanto por sua raridade quanto por suas propriedades curativas que têm atraído cada vez mais a atenção de quem quer que esteja buscando por um estilo de vida mais saudável e equilibrado.

A Turmalina Azul retira do usuário os elementos que causam problemas específicos e dissipa os efeitos da energia negativa na existência das pessoas. Traz clareza e calma, o que ajuda o corpo a viver sem tensões. No sentido espiritual, ajuda-nos a ganhar um conhecimento mais equilibrado do propósito da existência. Ela não dá respostas, mas é capaz de trazer luz informações estarrecedoras ou por vezes dolorosas.  Em comparação com outras pedras, as Turmalinas em geral têm uma propriedade única e curiosa que talvez explique o seu poder de concentração: Quando aquecido, um cristal de Turmalina desenvolve cargas elétricas  opostas em suas extremidades.

Todos os cristais hemimórficos são piezoeléctricos e frequentemente também piroelétricos. Quando aquecidos, os cristais da turmalina tornam-se carregados eletricamente – positivamente numa extremidade e negativamente na outra, tal como uma bateria. Devido a este efeito os cristais de turmalina em coleções podem apresentar uma camada de pó pouco recomendável quando exibidos sob luzes que produzam muito calor. As propriedades eléctricas pouco comuns da turmalina tornaram-na famosa no século XVIII.

As Turmalinas Azuis têm propriedades curativas sobre nosso pulmões e sobre os órgãos da respiração, bem como sobre o cérebro. Ela promove uma melhor simbiose do pulmão e da troca dos gases e o abastecimento do oxigênio. Na psique, as Turmalinas Azuis propiciam mais autonomia e capacidade de se desembaraçar de complicações, agilidade no trato de negócios e capacidade de pensar empresarialmente. Na meditação, ajuda a dinamizar os processos criativos e nos proporciona paz, equilíbrio e purificação.

É uma pedra muito indicada para quem necessita desenvolver o pensamento empresarial, independência, auto-expressão, confiança em si mesmo. No corpo físico ela trabalha nos órgãos da respiração, pulmões, brônquios, alivia a dificuldade de audição e perturbações da concentração, cérebro, sistema nervoso, acalma a mente perturbada.

A Turmalina Azul é encontrada com mais frequência no Brasil, Paquistão e África.

Os minerais do grupo da turmalina constituem um dos mais complexos grupos de minerais de silicato quanto à sua composição química, sendo todos eles ciclossilicatos. Trata-se de um conjunto de minerais de silicato de boro e alumínio, cuja composição é muito variável devido às substituições isomórficas (em solução sólida) que podem ocorrer na sua estrutura. Os elementos que mais comumente participam nestas substituições são o ferro, o magnésio, o sódio, o cálcio e o lítio existindo outros elementos que podem também ocorrer.

As turmalinas em geral apresentam uma grande variedade de cores. Geralmente as turmalinas ricas em ferro vão desde o preto ou preto-azulado ao castanho escuro; aquelas ricas em magnésio são castanhas a amarelas e as turmalinas ricas em lítio apresentam-se praticamente em todas as cores do arco-íris, azul, verde, vermelho, amarelo ou cor-de-rosa etc. Muito raramente são incolores. Os cristais bicoloridos e multicoloridos são relativamente comuns, refletindo variações da composição do fluido durante a cristalização. Os cristais podem ser verdes numa extremidade e cor-de-rosa na outra ou verdes no exterior com interior cor-de-rosa (este último tipo é por vezes chamado turmalina melancia).

A variedade mais comum de turmalina é a schorl, descrita pela primeira vez por Johannes Mathesius em 1524. Estima-se que possa corresponder a 95% ou mais de toda a turmalina existente na natureza. O significado da palavra schorl é um mistério tratando-se talvez de uma palavra de origem escandinava.

Gemas de turmalina, vivamente coloridas, provenientes de Sri Lanka, foram trazidas para a Europa em grandes quantidades pela Companhia Holandesa das Índias Ocidentais, para satisfazer a sua procura como objecto de curiosidade e como gema. Nessa altura não se sabia que a schorl e a turmalina eram o mesmo mineral.

A Turmalina tem clivagem prismática boa e pobre clivagem romboédrica. A sua fractura é subconchoidal a regular. Tem dureza 7-7.5 e o seu peso específico é de 2.9-3.2, a densidade é mais elevada nas espécies portadoras de ferro. Vai de transparente a opaca com lustre vítreo, por vezes resinoso em espécimes escuros.

A turmalina cristaliza no sistema trigonal e apresenta-se geralmente sob a forma de cristais de longos e delgados a prismáticos e colunares grossos geralmente com secção triangular. Um fato interessante é que as terminações dos cristais são assimétricas (hemimorfismo).

Os cristais prismáticos delgados são comuns num granito de grão fino chamado aplito frequentemente formando um padrão radial. A turmalina é distinguida pelos seus prismas de três faces; nenhum outro mineral comum apresenta três faces. Os prismas têm frequentemente estriações verticais bem marcadas que produzem um efeito triangular arredondado. A turmalina é muito raramente euédrica. Uma excepção eram as dravites de Yinnietharra, Austrália ocidental. O depósito foi descoberto nos anos 70 mas infelizmente encontra-se já esgotado.

VEJA TAMBÉM:

Turmalina Negra

Turmalina Verde

Turmalina Rosa

Turmalina Melancia

FICHA TÉCNICA DA TURMALINA AZUL

Chakra: Sexto, quinto, quarto

Planeta: Vênus

Mês: Outubro

Origem:  Brasil, Paquistão e África

Signo: Câncer, Libra, Escorpião e Capricórnio

Profissões: Eletricista, Minerador, Garimpeiro, Telefonista

Dureza: 7-7-5  Mohs

Composição:  Na(Li1.5,Al1.5Al6Si6O18(BO3)3(OH)4

Efeitos esotéricos e psíquicos:

  • Autonomia
  • Capacidade de se desembaraçar de complicações
  • Agilidade no trato de negócios
  • Capacidade de pensar empresarialmente
  • Dinamiza os processos criativos
  • Proporciona paz
  • Equilíbrio
  • Purificação
  • Proteção
  • Empreendedorismo
  • Independência
  • Auto-expressão
  • Confiança em si mesmo

Efeitos terapêuticos:

  • Órgãos da respiração
  • Pulmões
  • Brônquios
  • Alivia a dificuldade de audição
  • Alivia perturbações da concentração
  • Cérebro
  • sistema nervoso
  • Acalma a mente perturbada
  • Simbiose